Mês: setembro 2016

Dieta do abacaxi para emagrecer

Emagrecer atualmente já virou uma questão de muita discussão e muita polêmica por conta dos diversos métodos que prometem uma perda de peso rápida e com pouco esforço.

alimentação saudavel

No entanto, temos que prestar atenção que, em termos práticos, perder peso e emagrecer são coisas um tanto quanto diferentes. Afinal, perder peso é simplesmente diminuir o valor que aparece na balança quando vamos nos pesar.

Mas isso pode acontecer devido à perda de vários ‘itens’ de nosso corpo, como água, por exemplo. Só que a perda de água não é algo benéfico para o organismo, pois ele precisa deste líquido para executar suas funções vitais e ainda você poderá ficar desvendando os segredo do diabetes através do Livro

Emagrecer é o sentido real para aquilo que as pessoas realmente querem: perder gorduras! A perda de gordura é o que realmente faz a pessoa emagrecer e emagrecer com saúde.

Portanto, somente parar de comer não é o que importa, muito menos o que funciona. Há alimentos que fazem com que a perda de gordura se torne maior e mais rápida, mas isso irá depender de organismo para organismo. É importante saber escolher os alimentos você precisa aprender como fazer uma cozinha para diabéticos existem muitas receitas para isso na Internet.

Portanto, não se iluda com promessas de emagrecimento repentino, pois seu corpo pode não estar apto para isso. O que importa é que a dieta deve ser contínua e perseverante. Só assim você verá os resultados.

O Abacaxi e a dieta para emagrecer

abacaxi-frutaO abacaxi é uma fruta especial. Há algumas propriedades nesta fruta que fazem com que ela seja essencial na alimentação humana. Porém, há um mito de que o abacaxi engorda.

A verdade não é bem esta. O fato é que, por via de regra, o abacaxi não possui propriedades que façam com que o corpo perca gorduras, como o limão, por exemplo.

A fruta procedente do abacaxizeiro é realmente pouco calórica e suas fibras ajudam o estômago e o intestino no processo de digestão.

No entanto, os benefícios para a ‘forma’ param por aí, se pensarmos somente nos benefícios diretos à perda de gordura. Na verdade, os nutricionistas o indicam por conter diversas propriedades essenciais à nossa saúde e ao funcionamento do corpo.

Em primeiro lugar, porque possui uma quantidade significativa de vitamina C e B1, indispensáveis ao organismo e para o sistema imunológico.

Como ajuda à perda de peso, o abacaxi atua na excreção dos líquidos inúteis ao organismo. Isso só é possível graças a presença massiva de potássio em sua composição.

Outras frutas que emagrecem

Como alternativa para que seu emagrecimento ocorra da melhor forma possível e com todos os nutrientes que seu corpo necessita, você pode consumir muitas laranjas, melão, melancia, morango, entre tantas outras.

Cada uma destas frutas pode ser capaz de substituir, inclusive, muitos remédios, fazendo com que seu corpo esteja turbinado, no sentido saudável da palavra.

Com tantas frutas disponíveis no mercado, é possível criar uma dieta das frutas para emagrecer. E é possível afirmar que o abacaxi não pode faltar devido seu alto poder de excreção de líquidos.

Além disso, a combinação de vários tipos de fruta ajuda seu organismo a retirar todos os nutrientes dos quais precisa para se manter na ativa.

Aliando toda a alimentação saudável e balanceada a exercícios físicos, você só tem a ganhar. A única coisa que você vai perder são gorduras!

Vamos falar de Aquecimento Global?

Crescemos ouvindo falar do tão ameaçador aquecimento global. Ouvimos no noticiário, nas rodas de conversas, nas escolas. Mas pouca gente leva realmente a sério o fenômeno. Parece que ele faz parte de uma realidade distante de nós. Por ser um assunto complexo e de abrangência global, as pessoas acabam deixando o tema para as autoridades, e não se preocupam em cobrar que se cumpram metas a esse respeito.

Este mês o Brasil assinou um documento que confirma o Acordo de Paris, que coloca metas de redução de emissões dos chamados gases de efeito estufa. Mas pouco se falou sobre o assunto. Todos conseguem sentir as mudanças climáticas, e as pesquisas estão cada vez mais pessimistas. É certo que vamos precisar de medidas urgentes e eficazes para diminuir a emissão desses gases.

Por mais que todos tenham ciência dos riscos que corremos, falta clareza sobre como proceder numa questão tão complexa e global. Recentemente foi divulgado que julho deste ano foi o mês mais quente já registrado, desde quando se começaram a fazer esse tipo de análise, há 127 anos. Já sabemos também que as consequências serão catastróficas e irreversíveis, com danos para a agricultura, florestas, e a biodiversidade. Daí a importância de ouvir e divulgar quem está falando a respeito.

Recentemente me deparei com uma reflexão interessante de um engenheiro que é autoridade no assunto. Ele se chama Hiram Sartori e em sua fala aborda questões relativas ao meio ambiente e saúde pública. Cliquei em seu site e passei por seus diversos canais de comunicação, e me deparei com uma grande quantidade de informações sobre o contexto atual do nosso país, pesquisas acadêmicas, informações sobre o que as autoridades podem fazer e qual o papel das empresas e do cidadão comum para manter o meio ambiente saudável.

Neste texto específico, “O crescimento da energia solar no mundo”, Sartori fala de um grande avanço que o mundo deu em relação a emissão dos gases do efeito estufa, e quais medidas devem ainda ser tomadas. O fato é que 2015 foi o ano de maior investimento em eletricidade e combustíveis renováveis, batendo recordes. Cerca de 286 bilhões de dólares foi investido em energias limpas, com destaque para a energia solar e eólica.

globalização

Segundo o engenheiro, o Brasil tem o potencial gigante de energia solar, com regiões propensas a atividade, como o nordeste do país, que apresenta regiões semiáridas com alta irradiação e baixa pluviosidade. A vantagem é que o sistema fotovoltaico não precisa de alta irradiação solar, mas se beneficiaria de uma densidade adequada de nuvens, devido ao fenômeno de reflexão da luz solar. Outra vantagem é que a energia solar não exige áreas muito extensas, o que facilita sua implantação.

O sistema de energia solar ainda é caro e tem baixa eficiência, e ainda devem ser estudados métodos de descarte de material que não prejudique o meio ambiente, mas é uma solução real e que é acessível. Segundo levantamento do Greenpeace, para a implementação de uma matriz totalmente livre de combustíveis fósseis no Brasil, seria preciso cerca de 1,7 trilhão em investimentos até 2050. Parece muito? Pois esse valor é apenas 6% a mais do que o Brasil deve investir no setor de energia, considerando as políticas públicas atuais.

Precisamos de levantar o debate, cobrar das nossas autoridades, investimentos em pesquisas. As eleições estão chegando. Seria legal um debate construtivo que envolva a todos; candidatos que pensem na qualidade de vida além dos problemas mais próximos. Precisamos de informação e um posicionamento diante do mundo. É a nossa vida em jogo.

Anemia da doença crônica

A anemia da enfermidade crônica, dantes intitulada anemia da infecção crônica, acontece associada com muitas condições, como doenças infecciosas, inflamatórias e neoplásicas. Relatos recentes verificaram que similarmente pode estar associada a outras condições, como traumatismo, diabete melito, entre outras.

Em todas essas condições, algum achados são comuns, como nível de matéria vermelha corante do sangue (Hb) entre 7 e 11 g/dL, associação com ferro (Fe) sérico baixo, depósitos de Fe aumentados e míngua da personalidade completo de ligamento de ferro (CTLF). Similarmente é conhecida como anemia sideropênica ou siderose reticuloendotelial. Esta anemia é tipicamente normocítica, normocrômica e hipoproliferativa.

Etiologia e patogênese

Diversas modificações contribuem para a origem da anemia em doenças crônicas, como metabolismo depravado do ferro com diminuição do absorvimento de ferro pela candura gastrintestinal e retenção de ferro nos macrófagos. A rigidez da anemia é proporcionalmente relacionada à circunspeção dos sinais da enfermidade associada (febre, redução de peso e debilidade maior parte). Há também uma míngua casual na fabricação de eritropoietina, distinto que acontece no maior parte das anemias. As citocinas liberadas por infecção apresentam um papel cada vez mais conhecido nestes casos; entre estas, vale enfatizar as IL-1 e IL-6, além do TNF-alfa. Essas citocinas são capazes de romper uma fanfarronice que envolve a eliminação de interferon por linfócitos T. Sabe-se, tendo como exemplo, que o interferon-gama é agregado com origem de anemia com qualidades de enfermidade crônica em modelos animais. O papel da hepcidina na patogênese da anemia de enfermidade crônica similarmente é bem certo experimentalmente. Esta proteína possui um papel fundamental no metabolismo do ferro, inibindo seu absorvimento pelos enterócitos e interrompendo sua liberação pelos macrófagos. A fabricação da hepcidina é estimulada pelas citocinas pró-inflamatórias, justificando seu papel nesta forma de anemia.

Para acontecer a anemia, é preciso por volta de 1 a 2 meses de contágio sustentada; em seguida desse tempo, um novo abanadela é instalado entre fabricação e liquidação de células vermelhas até que os graus de Hb se tornam estáveis.

Similarmente é qualidade da anemia da enfermidade crônica rapidamente míngua a vida das hemácias. A vida média das células vermelhas nestas condições é reduzida em 20 a 30%, similarmente por atuação das citocinas. A resposta do miolo óssea a eritropoietina e o mais estímulos é diminuída, e parte deste resultado parece ser mediado por supressão basilar pela IL-1.

Há a descrição de uma maneira aguda da anemia da enfermidade crônica, que acontece depois de um lanço acre, como infarto do miocárdio, traumatismo ou sepse lesivo. Laboratorialmente, apresenta várias das qualidades observadas na anemia de enfermidade crônica. Estas pacientes apresentam graus altos de hepcidina, capa elevação fundamental da IL-6, que se correlaciona com míngua ágil dos graus de Hb, maiores que a rapidez esperada na anemia.

Eritropoetina

O remédio Eritropoetina é bastante usado no tratamento da anemia crônica, já que ela ajuda a completar os níveis da glicoproteína responsável por regular a produção de glóbulos brancos do sangue no organismo do paciente. Mas onde comprar eritropoetina com menor preço?

Este medicamento é vendido apenas em farmácias que vendem fármacos especiais e em distribuidoras de medicamentos, que, geralmente, oferecem o menor preço do mercado. Fique atento e faça uma pesquisa!

Todos os direitos reservados & Desenvolvido por Agência de Sites